Aprenda a Conhecer-se ( 3ª parte), por Marta Maria Caires

Hoje, continuamos com « Aprenda a Conhecer-se», em substituição da palestra presencial da 1ª sexta-feira de cada mês na SPN.
Vamos aprofundar a importância do AGRADECIMENTO, da GRATIDÃO.
Agradecer é reconhecer a essência, o amor, a harmonia, o equilíbrio, o reconhecimento de algo que nos é dado, ou ofertado, ou posto à nossa disposição.
Agradecer é reconhecer a dádiva da vida, de todos os reinos deste planeta e do cosmos.
Agradecer é uma bênção, gere abundância e quanto mais e mais agradecermos mais riqueza preenche nossas vidas.
A maioria dos Seres Humanos têm por hábito, por educação, por sociedade, etc agradecer por algo que lhes foi feito ou oferecido, por outros Seres Humanos,o que é muito bom e agradável.
Agora, paremos para pensar um pouco. 
Sabemos que só se pode dar ou oferecer alguma coisa nossa, daquilo que temos; ninguém pode dar algo que não tem, que não conquistou, que não amealhou.
Neste caso, como podem dar um agradecimento perfeito, completo se, primeiro não o conquistaram, não se preencheram com esta energia de agradecimento, para convosco próprios.
Vamos criar a abundância desta energia de gratidão dentro de nós, agradecendo aos nossos corpos tridimensionais, ao nosso trabalho feito por nós, às nossas emoções, aos nossos pensamentos, à nossa essência, às nossas células, aos nossos órgãos, aos nossos membros sempre disponíveis, aos nossos sentidos, etc,  criando em nós uma fonte inesgotável de agradecimento que preenche nosso Ser e tudo o que nos rodeia.
O agradecimento tem tanto, tanto poder que esta energia permeia, transmuta, cura, ilumina nossas vidas e muito mais.  
Com tudo de bom e agradecimento eterno
Marta Maria Caires

Falecimento de António Cardoso

ANTÓNIO JOSÉ MONTEIRO CARDOSO, Sócio nº 29, nasceu em 2/12/1929 e desde muito jovem abraçou a causa do naturismo. Não há registos da data da sua filiação na Sociedade Portuguesa de Naturalogia. Sabe-se apenas que na década de 40 do passado século já exercia cargos diretivos na Sociedade.

Dedicou a sua vida a defender e praticar o vegetarianismo e a divulgar as leis da saúde natural. Prestigiou sempre a SPN através do seu exemplo de professor estudioso em várias áreas, partilhando generosamente os conhecimentos que foi adquirindo ao longo da vida.

Foi professor de mentalismo, numerologia, magnetismo, radiestesia e realismo fantástico, entre outras disciplinas que exerceu dentro e fora da instituição.

Organizou e coordenou durante várias décadas as célebres conferências dos sábados à tarde, convidando ilustres personalidades em todos os ramos do saber.

Foi Presidente da Assembleia Geral, presidente da Direção e exerceu variadíssimos cargos nos Corpos Gerentes da SPN.

Em 1912, ano do centenário da nossa instituição, publicou “A Sociedade Portuguesa de Naturalogia e o Naturismo em Portugal” que constitui um memorial único sobre a vida da Sociedade em tempos recuados, pormenorizando as suas dificuldades e vicissitudes, bem como os anseios e sonhos que nessas duras épocas se perfilavam.

António Cardoso é, sem dúvida, pelo prestígio que alcandorou, dentro e fora do País, uma referência perene da Sociedade Portuguesa de Naturalogia.

A Assembleia Geral da SPN, realizada em 11/03/2020, aprovou por unanimidade e aclamação a atribuição de Sócio Honorário a António José Monteiro Cardoso.

Sede encerrada/Atividades à distância

A sede encontra-se encerrada, devido à decretação do estado de emergência e como medida de contenção da propagação do vírus COVID-19.

 

Estão a ser disponibilizados aos sócios e convidados, atividades e serviços à distância, utilizando a plataforma Zoom.

 

  • Curso à distância - “Os Três Pilares do Bem-Estar”, por Joaquim Reis

 

Resiliência

Por José de Sousa

Palestra grátis sobre resiliência, seguida de jantar vegetariano (opcional) com o valor de 8 €. 

Resumo

Pode-se definir a resiliência como a capacidade de o indivíduo lidar com problemas, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas – choque, estresse, etc. – sem entrar em surto psicológico.

Durante cerca de hora e meia, podes aprender a olhar para a tua situação pessoal de outra forma, e a começar a ver possibilidades para além dos problemas em que estás envolvido.

Através dos seus exemplos pessoais e de outros bem mais delicados, José de Sousa vai explorar o que é a resiliência, como podemos encontrar força nas adversidades, e dar algumas dicas e sugestões para aumentar a nossa resiliência – a nossa capacidade de lidar com situações adversas e ultrapassar os obstáculos que temos nas nossas vidas.

Detalhe

Muitas vezes deixamo-nos levar pelas nossas próprias situações pessoais e sentimos que:

  1. a nossa situação é a pior de todas, os nossos problemas são maiores do que os de toda a gente,
  2. tudo á nossa volta não funciona e a cor da nossa situação é negra,
  3. nunca ninguém nos poderá entender,
  4. porque é que só nos acontecem situações negativas na nossa vida
  5. estamos sozinhos a lutar contra todas as adversidades da vida
  6. não temos capacidade de lutar mais e só nos apetece desistir de tudo
  7. estamos sufocados ou bloqueados com a teia de situações em que estamos enrolados

Isso é seguramente verdade, se tudo a que dermos atenção forem (entre outras):

  1. as nossas próprias situações,
  2. os nossos problemas,
  3. pensamentos sobre a incapacidade e escassez de recursos para resolver as questões e os desafios que temos pela frente
  4. pensamentos sobre que estamos realmente sozinhos e que ninguém nos pode ajudar
  5. situações do passado onde tudo correu mal

Ao proceder desta forma, que pode ser a nossa forma habitual de reagir aos problemas e desafios, estamos, sem o saber, a fortalecer grandemente a nossa incapacidade de agir, e a fazer com que nos sintamos cada dia pior, a cada dia que passa parece que os problemas aumentam e tudo o que é mau vem ter connosco.

Só que:

Todos nós temos algo em comum com todas as pessoas e nunca ou quase nunca pensamos sobre isso!

Todas as pessoas já passaram por situações complicadas na sua vida:

  • Ou alguns dos seus pais ou familiares já morreram
  • Ou tiveram uma infância difícil, seja a nível pessoal ou financeiro
  • Ou foram despedidos da empresa onde trabalhavam
  • Ou os seus casamentos ou relações acabaram
  • Ou são filhos de pais separados
  • Ou estão a passar agora por situações desafiantes a nível emocional, de relacionamentos ou financeiro,
  • Ou têm doenças graves ou limitações físicas complicadas
  • Etc.

Como disse Einstein,

“Os problemas significativos que enfrentamos não podem ser resolvidos no mesmo nível de pensamento em que estávamos quando os criámos.

“No meio da dificuldade encontra-se a oportunidade.”

Em resumo, para que consigamos ver a luz no meio das trevas, nos consigamos erguer e ter energia, motivação e capacidade de enfrentar as situações, é útil treinar a nossa capacidade de sermos resilientes e de resistir, mesmo que estejamos no meio das condições mais adversas que já possamos ter imaginado.

O que é necessário, é que tenhamos consciência de que muitas vezes nos deixamos bloquear pelas situações por pensarmos demasiado nelas, passamos muito tempo na nossa cabeça a imaginar os piores cenários possíveis, e com isso aumentamos exponencialmente as nossas situações de ansiedade, que até pode tornar-se em pânico.

É útil entender que muitas vezes “fazemos” filmes na nossa cabeça, e que isso é natural, é a forma do nosso cérebro e mente funcionarem e nos alertarem para perigos e ameaças que enfrentamos.

Se nos deixarmos levar por isso ou nada fizermos, estamos a prolongar o nosso próprio estado de incapacidade de actuação.

Muitas vezes é preciso parar e encontrarmos forma de aumentar a conexão connosco mesmo, com as pessoas que nos rodeiam, sejam família ou amigos, e com o mundo que nos rodeia.

Há com certeza pelo menos uma solução para os nossos problemas, temos é que passar a pensar mais em soluções e a colocar em prática novas formas de actuar – actuarmos mais uma vez da mesma forma, da nossa forma habitual de lidar com as questões, desafios e problemas não vai ajudar!

Muitas vezes é no silêncio e na imaginação que se encontra a solução.

Citando Einstein novamente:

“Penso noventa e nove vezes e nada descubro; deixo de pensar, mergulho em profundo silêncio – e eis que a verdade se me revela.”

A resiliência vai-nos permitir alterar o nosso paradigma de “Ver para crer” para “Querer para ver”

“Algo só é impossível até que alguém duvide e acabe por provar o contrário.”

Eu acredito que é possível ultrapassar os meus obstáculos e ter uma vida mais feliz, na companhia das pessoas que são importantes para mim.

E tu, atreves-te a duvidar que o que enfrentas não é impossível de se resolver?

 

 

Vida Sã

Boletim Vida Sã

“Vida Sã” é o boletim trimestral distribuído gratuitamente aos sócios (por correio eletrónico para quem possui email, em papel para os restantes), constituído por artigos sobre assuntos relacionados com a Naturalogia e o Naturismo, com sugestões e dicas naturais, notícias e divulgação de atividades promovidas pela SPN.

Para que todos possam ver essa vantagem que normalmente é disponibilizada exclusivamente aos sócios, disponibilizamos as últimas edições:

2017

Inverno

Outono

Verão

Primavera

2016

Inverno

Outono

Verão

Primavera

2015

Inverno

Outono 

 

edições mais antigas

Nº5 – 2009

 

Associe-se!

Naturismo

na·tu·ris·mo
(natura + -ismo)
substantivo masculino


1. Sistema ou teoria que atribuiu à natureza força terapêutica na cura de doenças.
2. Doutrina ou modo de vida que defende a harmonia com a natureza, nomeadamente na maneira de vestir, de comer, de tratar as doenças e de viver.

Fonte:”naturismo”, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, http://www.priberam.pt/dlpo/naturismo


1. doutrina segundo a qual a religião teria origem na personificação e divinização das forças da natureza
2. culto religioso da natureza
3. teoria que preconiza um regime de vida próximo da natureza (ar livre, alimentos naturais, nudismo)
4. teoria que defende o tratamento de doenças através de meios naturais

Fonte:”naturismo” in Dicionário da Língua Portuguesa com Acordo Ortográfico, Porto Editora, http://www.infopedia.pt/dicionarios/lingua-portuguesa/naturismo


O naturismo (não confundir com naturalismo) é um conjunto de princípios éticos e comportamentais que preconizam um modo de vida baseado no retorno à natureza como a melhor maneira de viver e defendendo a vida ao ar livre, o consumo de alimentos naturais e a prática do nudismo, entre outras atitudes. A palavra naturismo provém do francês naturisme, que é a doutrina filosófica que se baseia num modo de vida em harmonia com a natureza, caracterizado pela prática do nudismo em grupo, que tem por intenção favorecer o autorrespeito, o respeito pelo outro e o cuidado com o meio ambiente.

Fonte: Wikipedia, https://pt.wikipedia.org/wiki/Naturismo


O Naturismo é uma forma de viver em harmonia com a Natureza caracterizada pela práctica da nudez social, com o propósito de favorecer a auto-estima, o respeito pelos outros e pelo meio ambiente.

Fonte: Federação Portuguesa de Naturismo, http://www.fpn.pt