Falecimento de António Cardoso

ANTÓNIO JOSÉ MONTEIRO CARDOSO, Sócio nº 29, nasceu em 2/12/1929 e desde muito jovem abraçou a causa do naturismo. Não há registos da data da sua filiação na Sociedade Portuguesa de Naturalogia. Sabe-se apenas que na década de 40 do passado século já exercia cargos diretivos na Sociedade.

Dedicou a sua vida a defender e praticar o vegetarianismo e a divulgar as leis da saúde natural. Prestigiou sempre a SPN através do seu exemplo de professor estudioso em várias áreas, partilhando generosamente os conhecimentos que foi adquirindo ao longo da vida.

Foi professor de mentalismo, numerologia, magnetismo, radiestesia e realismo fantástico, entre outras disciplinas que exerceu dentro e fora da instituição.

Organizou e coordenou durante várias décadas as célebres conferências dos sábados à tarde, convidando ilustres personalidades em todos os ramos do saber.

Foi Presidente da Assembleia Geral, presidente da Direção e exerceu variadíssimos cargos nos Corpos Gerentes da SPN.

Em 1912, ano do centenário da nossa instituição, publicou “A Sociedade Portuguesa de Naturalogia e o Naturismo em Portugal” que constitui um memorial único sobre a vida da Sociedade em tempos recuados, pormenorizando as suas dificuldades e vicissitudes, bem como os anseios e sonhos que nessas duras épocas se perfilavam.

António Cardoso é, sem dúvida, pelo prestígio que alcandorou, dentro e fora do País, uma referência perene da Sociedade Portuguesa de Naturalogia.

A Assembleia Geral da SPN, realizada em 11/03/2020, aprovou por unanimidade e aclamação a atribuição de Sócio Honorário a António José Monteiro Cardoso.

Biblioterapia – Ler para viver melhor

Os textos que escolhemos, são da revista “Natura”, de novembro de 1971. Representa opiniões dos autores, que podem ou não ter sido refutadas por conhecimentos mais recentes e que de qualquer das formas, cada um deve sempre verificar a sua adequação ao não, à sua saúde e situação pessoal.

  • O refeitório encontra-se aberto, a funcionar de 2ª a 6ª feira ao almoço

Sede encerrada/Atividades à distância

A sede encontra-se encerrada, devido à decretação do estado de emergência e como medida de contenção da propagação do vírus COVID-19.

 

Estão a ser disponibilizados aos sócios e convidados, atividades e serviços à distância, utilizando a plataforma Zoom.

 

  • O refeitório encontra-se aberto, a funcionar de 2ª a 6ª feira ao almoço

 

Ementa almoço outono e aniversário (13/10/2018)

ALMOÇO DE OUTONO E ANIVERSÁRIO (106 ANOS DA SPN)

13/10/2018 – 13:30h

EMENTA

Sopa à Juliana;

Gratinado de espinafres;

Rolo de amendoim;

Arroz de Benavente;

Rolinhos de fubá com nozes;

Salada mista: – Tomate, alface, cenoura e beterraba;

Sobremesa: – Doce delícia à SPN;

Bolo de aniversário;

Sumo de cenoura e maçã;

Água com menta;

Chá de lúcia-lima.

E teremos também:

– A animação da festa a cargo do músico e maestro João Silva;

– Homenagem aos sócios mais antigos com entrega de diplomas;

– E os habituais sorteios (guarde a sua senha até ao fim);

Custo da refeição: – Sócios, 10 €, não sócios, 12 €.

Agradece-se que as inscrições sejam efetuadas até ao dia 10 de outubro.

Para: – Rua João de Menezes, nº 1, Tel: 213463335 (só de tarde) ou 917583758. Ou geral@spnaturalogia.pt

Amigos/parceiros da SPN: Atividades – Produção e Reprodução Vegetal (em produção biológica)

Exmos Senhores,

Iniciamos este novo ano com a publicação (anual) do nosso primeiro index seminum et plantarum.
Continuamos a laborar ao nível da Terra  e às  mesmas cadências da sua revolução e ciclos vegetativos.
Retomamos, assim,  as nossas sementeiras e plantações, conjuntamente com o ciclo de sete diferentes  formações,  cuja agenda abaixo lhes apresentamos.
O programa do seu primeiro módulo consta em anexo

       Cordiais Saudações.
AIDOS DA VILA

Valdemiro Gonçalves Pereira

– PRODUÇÃO E REPRODUÇÃO VEGETAL-2018 –

Estas actividades correspondem a 7 módulos complementares e são desenvolvidas junto das espécies vegetais e em solos locais.

módulo 1 – Podas de Inverno em Fruteiras e Jardins – 3 de Fevereiro
módulo 2 – Multiplicação de Plantas (via seminal e vegetativa) – 24 de Março
módulo 3 – Identificação e Controlo de Pragas e Doenças/Preparados Naturais – 28 de Abril
módulo 4 – Poda Verde em Fruteiras – 9 de Junho
módulo 5 – Desinfecção e Fertilização dos Solos – 7 de Julho
módulo 6 – Quando e como Colher e Conservar – 22 de Setembro
módulo 7 – Banco de Sementes e index seminum – monitorização e preparação – 10
de Novembro

Condições de inscrição:

– 7 módulos(ciclo completo):165€
– 3 módulos seguidos:74€
– módulos isolados:28€

As inscrições (de número muito limitado) e pagamentos, com confirmação, serão considerados por ordem de chegada, até ao dia 1 de Fevereiro (para módulos seguintes isolados, até 6 dias antes da data do seu início) acompanhados destes elementos de identificação:

Nome/Idade/Morada/Habilitações Académicas/Actividade profissional/Contacto
A contrapartida poderá ser efectuada através de trabalhos locais combinados e programados,caso a caso,a realizar até esta data-limite ou através do NIB : 0045.3271.4026.6480.0378.4.

Almoço de verão

Almoço de Verão

 25 de junho de 2016 (sábado), às 13:30h

Ementa:

– Canapés de tostas integrais com paté de azeitonas biológicas de Belmonte.

– Puré de fava seca com legumes.

– Empadão de arroz integral com chícharos e alho-francês.

– Saladas de alface, tomate, pepino, cenoura e espécies silvestres.

– Tapioca e compota de cerejas de Alcongosta.

– Bolo de canela com sultanas.

– Refresco de flores de sabugueiro.

– Suco de cenoura.

– Infusão de milfurada e pétalas de rosa.


NOTA: – A seguir ao almoço teremos a conferência: – AS (PRIMEIRAS) DISCUSSÕES HISTÓRICAS EM TORNO DOS MODELOS TERAPÊUTICOS EM PORTUGALDrª. Dulce Pombo.

 Marcações: Rua João de Meneses, nº 1, Tel: 213 463 335 (só de tarde) ou 914430800 ou geral@spnaturalogia.pt 

Custo: – Sócios, 10€, não sócios, 12€

Resiliência

Por José de Sousa

Palestra grátis sobre resiliência, seguida de jantar vegetariano (opcional) com o valor de 8 €. 

Resumo

Pode-se definir a resiliência como a capacidade de o indivíduo lidar com problemas, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas – choque, estresse, etc. – sem entrar em surto psicológico.

Durante cerca de hora e meia, podes aprender a olhar para a tua situação pessoal de outra forma, e a começar a ver possibilidades para além dos problemas em que estás envolvido.

Através dos seus exemplos pessoais e de outros bem mais delicados, José de Sousa vai explorar o que é a resiliência, como podemos encontrar força nas adversidades, e dar algumas dicas e sugestões para aumentar a nossa resiliência – a nossa capacidade de lidar com situações adversas e ultrapassar os obstáculos que temos nas nossas vidas.

Detalhe

Muitas vezes deixamo-nos levar pelas nossas próprias situações pessoais e sentimos que:

  1. a nossa situação é a pior de todas, os nossos problemas são maiores do que os de toda a gente,
  2. tudo á nossa volta não funciona e a cor da nossa situação é negra,
  3. nunca ninguém nos poderá entender,
  4. porque é que só nos acontecem situações negativas na nossa vida
  5. estamos sozinhos a lutar contra todas as adversidades da vida
  6. não temos capacidade de lutar mais e só nos apetece desistir de tudo
  7. estamos sufocados ou bloqueados com a teia de situações em que estamos enrolados

Isso é seguramente verdade, se tudo a que dermos atenção forem (entre outras):

  1. as nossas próprias situações,
  2. os nossos problemas,
  3. pensamentos sobre a incapacidade e escassez de recursos para resolver as questões e os desafios que temos pela frente
  4. pensamentos sobre que estamos realmente sozinhos e que ninguém nos pode ajudar
  5. situações do passado onde tudo correu mal

Ao proceder desta forma, que pode ser a nossa forma habitual de reagir aos problemas e desafios, estamos, sem o saber, a fortalecer grandemente a nossa incapacidade de agir, e a fazer com que nos sintamos cada dia pior, a cada dia que passa parece que os problemas aumentam e tudo o que é mau vem ter connosco.

Só que:

Todos nós temos algo em comum com todas as pessoas e nunca ou quase nunca pensamos sobre isso!

Todas as pessoas já passaram por situações complicadas na sua vida:

  • Ou alguns dos seus pais ou familiares já morreram
  • Ou tiveram uma infância difícil, seja a nível pessoal ou financeiro
  • Ou foram despedidos da empresa onde trabalhavam
  • Ou os seus casamentos ou relações acabaram
  • Ou são filhos de pais separados
  • Ou estão a passar agora por situações desafiantes a nível emocional, de relacionamentos ou financeiro,
  • Ou têm doenças graves ou limitações físicas complicadas
  • Etc.

Como disse Einstein,

“Os problemas significativos que enfrentamos não podem ser resolvidos no mesmo nível de pensamento em que estávamos quando os criámos.

“No meio da dificuldade encontra-se a oportunidade.”

Em resumo, para que consigamos ver a luz no meio das trevas, nos consigamos erguer e ter energia, motivação e capacidade de enfrentar as situações, é útil treinar a nossa capacidade de sermos resilientes e de resistir, mesmo que estejamos no meio das condições mais adversas que já possamos ter imaginado.

O que é necessário, é que tenhamos consciência de que muitas vezes nos deixamos bloquear pelas situações por pensarmos demasiado nelas, passamos muito tempo na nossa cabeça a imaginar os piores cenários possíveis, e com isso aumentamos exponencialmente as nossas situações de ansiedade, que até pode tornar-se em pânico.

É útil entender que muitas vezes “fazemos” filmes na nossa cabeça, e que isso é natural, é a forma do nosso cérebro e mente funcionarem e nos alertarem para perigos e ameaças que enfrentamos.

Se nos deixarmos levar por isso ou nada fizermos, estamos a prolongar o nosso próprio estado de incapacidade de actuação.

Muitas vezes é preciso parar e encontrarmos forma de aumentar a conexão connosco mesmo, com as pessoas que nos rodeiam, sejam família ou amigos, e com o mundo que nos rodeia.

Há com certeza pelo menos uma solução para os nossos problemas, temos é que passar a pensar mais em soluções e a colocar em prática novas formas de actuar – actuarmos mais uma vez da mesma forma, da nossa forma habitual de lidar com as questões, desafios e problemas não vai ajudar!

Muitas vezes é no silêncio e na imaginação que se encontra a solução.

Citando Einstein novamente:

“Penso noventa e nove vezes e nada descubro; deixo de pensar, mergulho em profundo silêncio – e eis que a verdade se me revela.”

A resiliência vai-nos permitir alterar o nosso paradigma de “Ver para crer” para “Querer para ver”

“Algo só é impossível até que alguém duvide e acabe por provar o contrário.”

Eu acredito que é possível ultrapassar os meus obstáculos e ter uma vida mais feliz, na companhia das pessoas que são importantes para mim.

E tu, atreves-te a duvidar que o que enfrentas não é impossível de se resolver?