Amigos/parceiros da SPN: Atividades – Produção e Reprodução Vegetal (em produção biológica)

Exmos Senhores,

Iniciamos este novo ano com a publicação (anual) do nosso primeiro index seminum et plantarum.
Continuamos a laborar ao nível da Terra  e às  mesmas cadências da sua revolução e ciclos vegetativos.
Retomamos, assim,  as nossas sementeiras e plantações, conjuntamente com o ciclo de sete diferentes  formações,  cuja agenda abaixo lhes apresentamos.
O programa do seu primeiro módulo consta em anexo

       Cordiais Saudações.
AIDOS DA VILA

Valdemiro Gonçalves Pereira

– PRODUÇÃO E REPRODUÇÃO VEGETAL-2018 –

Estas actividades correspondem a 7 módulos complementares e são desenvolvidas junto das espécies vegetais e em solos locais.

módulo 1 – Podas de Inverno em Fruteiras e Jardins – 3 de Fevereiro
módulo 2 – Multiplicação de Plantas (via seminal e vegetativa) – 24 de Março
módulo 3 – Identificação e Controlo de Pragas e Doenças/Preparados Naturais – 28 de Abril
módulo 4 – Poda Verde em Fruteiras – 9 de Junho
módulo 5 – Desinfecção e Fertilização dos Solos – 7 de Julho
módulo 6 – Quando e como Colher e Conservar – 22 de Setembro
módulo 7 – Banco de Sementes e index seminum – monitorização e preparação – 10
de Novembro

Condições de inscrição:

– 7 módulos(ciclo completo):165€
– 3 módulos seguidos:74€
– módulos isolados:28€

As inscrições (de número muito limitado) e pagamentos, com confirmação, serão considerados por ordem de chegada, até ao dia 1 de Fevereiro (para módulos seguintes isolados, até 6 dias antes da data do seu início) acompanhados destes elementos de identificação:

Nome/Idade/Morada/Habilitações Académicas/Actividade profissional/Contacto
A contrapartida poderá ser efectuada através de trabalhos locais combinados e programados,caso a caso,a realizar até esta data-limite ou através do NIB : 0045.3271.4026.6480.0378.4.

Almoço de verão

Almoço de Verão

 25 de junho de 2016 (sábado), às 13:30h

Ementa:

– Canapés de tostas integrais com paté de azeitonas biológicas de Belmonte.

– Puré de fava seca com legumes.

– Empadão de arroz integral com chícharos e alho-francês.

– Saladas de alface, tomate, pepino, cenoura e espécies silvestres.

– Tapioca e compota de cerejas de Alcongosta.

– Bolo de canela com sultanas.

– Refresco de flores de sabugueiro.

– Suco de cenoura.

– Infusão de milfurada e pétalas de rosa.


NOTA: – A seguir ao almoço teremos a conferência: – AS (PRIMEIRAS) DISCUSSÕES HISTÓRICAS EM TORNO DOS MODELOS TERAPÊUTICOS EM PORTUGALDrª. Dulce Pombo.

 Marcações: Rua João de Meneses, nº 1, Tel: 213 463 335 (só de tarde) ou 914430800 ou geral@spnaturalogia.pt 

Custo: – Sócios, 10€, não sócios, 12€

Resiliência

Por José de Sousa

Palestra grátis sobre resiliência, seguida de jantar vegetariano (opcional) com o valor de 8 €. 

Resumo

Pode-se definir a resiliência como a capacidade de o indivíduo lidar com problemas, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas – choque, estresse, etc. – sem entrar em surto psicológico.

Durante cerca de hora e meia, podes aprender a olhar para a tua situação pessoal de outra forma, e a começar a ver possibilidades para além dos problemas em que estás envolvido.

Através dos seus exemplos pessoais e de outros bem mais delicados, José de Sousa vai explorar o que é a resiliência, como podemos encontrar força nas adversidades, e dar algumas dicas e sugestões para aumentar a nossa resiliência – a nossa capacidade de lidar com situações adversas e ultrapassar os obstáculos que temos nas nossas vidas.

Detalhe

Muitas vezes deixamo-nos levar pelas nossas próprias situações pessoais e sentimos que:

  1. a nossa situação é a pior de todas, os nossos problemas são maiores do que os de toda a gente,
  2. tudo á nossa volta não funciona e a cor da nossa situação é negra,
  3. nunca ninguém nos poderá entender,
  4. porque é que só nos acontecem situações negativas na nossa vida
  5. estamos sozinhos a lutar contra todas as adversidades da vida
  6. não temos capacidade de lutar mais e só nos apetece desistir de tudo
  7. estamos sufocados ou bloqueados com a teia de situações em que estamos enrolados

Isso é seguramente verdade, se tudo a que dermos atenção forem (entre outras):

  1. as nossas próprias situações,
  2. os nossos problemas,
  3. pensamentos sobre a incapacidade e escassez de recursos para resolver as questões e os desafios que temos pela frente
  4. pensamentos sobre que estamos realmente sozinhos e que ninguém nos pode ajudar
  5. situações do passado onde tudo correu mal

Ao proceder desta forma, que pode ser a nossa forma habitual de reagir aos problemas e desafios, estamos, sem o saber, a fortalecer grandemente a nossa incapacidade de agir, e a fazer com que nos sintamos cada dia pior, a cada dia que passa parece que os problemas aumentam e tudo o que é mau vem ter connosco.

Só que:

Todos nós temos algo em comum com todas as pessoas e nunca ou quase nunca pensamos sobre isso!

Todas as pessoas já passaram por situações complicadas na sua vida:

  • Ou alguns dos seus pais ou familiares já morreram
  • Ou tiveram uma infância difícil, seja a nível pessoal ou financeiro
  • Ou foram despedidos da empresa onde trabalhavam
  • Ou os seus casamentos ou relações acabaram
  • Ou são filhos de pais separados
  • Ou estão a passar agora por situações desafiantes a nível emocional, de relacionamentos ou financeiro,
  • Ou têm doenças graves ou limitações físicas complicadas
  • Etc.

Como disse Einstein,

“Os problemas significativos que enfrentamos não podem ser resolvidos no mesmo nível de pensamento em que estávamos quando os criámos.

“No meio da dificuldade encontra-se a oportunidade.”

Em resumo, para que consigamos ver a luz no meio das trevas, nos consigamos erguer e ter energia, motivação e capacidade de enfrentar as situações, é útil treinar a nossa capacidade de sermos resilientes e de resistir, mesmo que estejamos no meio das condições mais adversas que já possamos ter imaginado.

O que é necessário, é que tenhamos consciência de que muitas vezes nos deixamos bloquear pelas situações por pensarmos demasiado nelas, passamos muito tempo na nossa cabeça a imaginar os piores cenários possíveis, e com isso aumentamos exponencialmente as nossas situações de ansiedade, que até pode tornar-se em pânico.

É útil entender que muitas vezes “fazemos” filmes na nossa cabeça, e que isso é natural, é a forma do nosso cérebro e mente funcionarem e nos alertarem para perigos e ameaças que enfrentamos.

Se nos deixarmos levar por isso ou nada fizermos, estamos a prolongar o nosso próprio estado de incapacidade de actuação.

Muitas vezes é preciso parar e encontrarmos forma de aumentar a conexão connosco mesmo, com as pessoas que nos rodeiam, sejam família ou amigos, e com o mundo que nos rodeia.

Há com certeza pelo menos uma solução para os nossos problemas, temos é que passar a pensar mais em soluções e a colocar em prática novas formas de actuar – actuarmos mais uma vez da mesma forma, da nossa forma habitual de lidar com as questões, desafios e problemas não vai ajudar!

Muitas vezes é no silêncio e na imaginação que se encontra a solução.

Citando Einstein novamente:

“Penso noventa e nove vezes e nada descubro; deixo de pensar, mergulho em profundo silêncio – e eis que a verdade se me revela.”

A resiliência vai-nos permitir alterar o nosso paradigma de “Ver para crer” para “Querer para ver”

“Algo só é impossível até que alguém duvide e acabe por provar o contrário.”

Eu acredito que é possível ultrapassar os meus obstáculos e ter uma vida mais feliz, na companhia das pessoas que são importantes para mim.

E tu, atreves-te a duvidar que o que enfrentas não é impossível de se resolver?

 

 

Vida Sã

Boletim Vida Sã

“Vida Sã” é o boletim trimestral distribuído gratuitamente aos sócios (por correio eletrónico para quem possui email, em papel para os restantes), constituído por artigos sobre assuntos relacionados com a Naturalogia e o Naturismo, com sugestões e dicas naturais, notícias e divulgação de atividades promovidas pela SPN.

Para que todos possam ver essa vantagem que normalmente é disponibilizada exclusivamente aos sócios, disponibilizamos as últimas edições:

2017

Inverno

Outono

Verão

Primavera

2016

Inverno

Outono

Verão

Primavera

2015

Inverno

Outono 

 

edições mais antigas

Nº5 – 2009

 

Associe-se!